/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03-2023/single.php

Nota Pública contrária a implementação das tecnologias de militarização nas escolas públicas do  Estado da Bahia

Publicado em 22 março de 2018 às 20:38

Nota Pública contrária a implementação das tecnologias de militarização nas escolas públicas do  Estado da Bahia

Nota Pública do Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03) contrária a implementação das tecnologias de militarização nas escolas públicas do  Estado da Bahia

O Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03), através de sua Comissão de Educação (CEDUC), torna público o seu posicionamento de repúdio as declarações do governador do Estado da Bahia, Rui Costa, favorável ao acordo para implementação da “metodologia e filosofia” dos colégios militares em escolas dos municípios da Bahia. O convênio será coordenado pelo Coronel Anselmo Brandão, comandante da Polícia Militar, em articulação com a União dos Municípios da Bahia.

Em tempos de incontáveis retrocessos e ataques ao sistema educacional brasileiro, a militarização das escolas estaduais, em consonância com o projeto “Escola Sem Partido”, apresentam-se enquanto medidas de censura e controle. Destarte, enfatizamos a necessidade de produzirmos resistência diante de tais investidas, rechaçando qualquer construção de práticas pedagógicas pautadas pelo adestramento e engessamentos dos corpos.

O CRP/03 coaduna com perspectivas educacionais que sejam valorosas às diversidades, críticas e libertadoras. Autoritarismo não educa; aprisiona. Cerceia expressões singulares no intuito de homogeneizar sujeitos e amordaçar pluralidades. Logo, considerando a escola enquanto espaço de aquisição e socialização dos saberes produzidos historicamente pela humanidade; considerando a escola um espaço de convivência com princípios éticos fundados nas diretrizes dos Direitos Humanos; entendemos que as melhorias neste espaço não serão alcançadas pelas “tecnologias militares” apontadas pelo governador.

Enfatizamos a importância de maior investimento nas condições de trabalho dos profissionais que atuam no cotidiano escolar, criando oportunidades objetivas que facilitem o processo de autonomia pedagógica em uma construção contínua com as diretrizes educacionais estabelecidas pelos Planos Nacionais, Estaduais e Municipais de Educação e pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

 Permanecemos atentas(os) a esta lógica perversa de sucateamento intencional das escolas públicas, de forma que tal cenário sugestione eventuais e ilusórias melhorias a partir de medidas que insiram a militarização como única possibilidade de reorganização e bom funcionamento do espaço escolar. Como bem nos diz Darcy Ribeiro: “A crise da educação não é uma crise: é um projeto”.

Concluímos destacando a importância de uma educação pública, gratuita e laica como ponto de partida para as eventuais transformações educacionais e sociais que objetivamos. Os princípios democráticos deverão ser nosso alicerce nos enfrentamentos às quaisquer medidas autoritárias que se apresentem como alternativa viável nos espaços educacionais.

Compartilhe este conteúdo nas redes

Mais Posts

II Fórum de debates sobre raça e classe do Instituto de Psicologia da UFBA

No dia 26 de setembro, a partir das 18h, acontece o II Fórum de Debates sobre Raça e Classe do […]

CRP-03 participa de evento sobre Psicologia e Empreendedorismo 

O Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03) participou, na última terça-feira (19/09), do evento Psi Empreende: A Jornada do […]

CFP prorroga prazo de pesquisa sobre atuação de psicólogas/os no Sistema de Justiça. Participe!

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) prorrogou, até 15 de outubro, uma pesquisa junto às(aos) psicólogas(os) que atuam no Sistema […]

Assine nossa news

Faça o seu cadastro agora e receba o boletim
eletrônico do CRP-03 em seu e-mail.

Skip to content