/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single.php
Início  →  Destaque Principal  →  Fruto de uma série de articulações, Salvador lançou processo seletivo para psicóloga/o bilíngue

Fruto de uma série de articulações, Salvador lançou processo seletivo para psicóloga/o bilíngue


Conquista é resultado da participação do CRP-03 para garantia de acesso às pessoas surdas aos serviços de saúde, junto ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA)

No início deste mês, foi lançado edital para o processo seletivo de psicóloga/o bilíngue (Libras – Língua Portuguesa) para atendimento em Multicentro na cidade de Salvador-BA. O Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03), junto ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), participou das articulações para realização do pleito que visa a garantia de acesso às pessoas surdas aos serviços de saúde. As movimentações contaram ainda com as participações da Unidade de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência (UPCD), Secretária da Saúde da Pessoa com Deficiência e demais secretarias municipais e estaduais.

O pleito se apresenta como uma oportunidade de emprego para a categoria. Sob a responsabilidade da  S3 Gestão em Saúde, o processo seletivo está regulamentado pelo edital 001/2022, disponível AQUI, As inscrições são gratuitas e terminam hoje (13/05).  

De acordo com o conselheiro Atanael Ribeiro da Silva Weber (CRP-03/13293),  o processo seletivo “corrobora para garantir o acesso de pessoas surdas, antes invisibilizadas, fosse pela subnotificação da sua procura (o que inviabiliza a construção de políticas públicas específicas e acessíveis), fosse pela exposição de suas questões e sofrimentos à terceiros (familiares e/ou intérpretes) para estabelecer uma comunicação com a/o profissional não fluente na Libras”.

O conselheiro lembra que o envolvimento do CRP-03 ocorreu a partir de uma convocação no MP-BA para dialogar sobre a impossibilidade de atendimento psicológico às pessoas surdas mediadas por profissionais intérpretes de Libras. “Após elucidar tais questões, passou-se para construção das alternativas de assegurar o direito dessa população aos serviços de saúde público, acessível, qualificado e ético conforme as legislações vigentes e normativas do CFP”, recorda.

A autarquia tem um processo de mobilização constante para estabelecer diálogos sobre os serviços de psicologia destinados às pessoas Surdas. Para chegar neste edital, por exemplo, Atanael lembra que “articulações foram possíveis a partir da criação de um GT específico para dialogar com instituições e profissionais que atendam este público, realizar ações para disseminação e conscientização da categoria e sociedade sobre essa temática e suas atualizações, além das articulações com os setores da autarquia visando promover orientações e documentos norteadores que compreendam as especificidades  no atendimento à pessoas surdas, suas barreiras comunicacionais e os atravessamentos prejudiciais na terceirização (familiar, amigo ou intérprete de Libras) nesse diálogo entre profissional de psicologia e a pessoa surda atendida”.

Skip to content