/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single.php
Início  →  Notícias  →  Evento discutiu racismo nas escolas e no mercado de trabalho

Evento discutiu racismo nas escolas e no mercado de trabalho


Reflexos do racismo nas escolas e seus impactos no ingresso de jovens negras/os no mercado de trabalho foi o tema do evento realizado pelo Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03), na manhã do dia 22 de outubro. A roda de conversa, transmitida pelo Youtube, foi organizada a partir da parceria entre os Grupos de Trabalho Psicologia e Educação (GTPE), Psicologia Organizacional e do Trabalho (GTPOT), Psicologia e Adolescência (GTPA), e Psicologia e Relações Raciais (GTPRR) de Feira de Santana. O projeto teve dois objetivos principais. O primeiro de pensar sobre a promoção de Direitos Humanos para adolescentes e jovens, com base na tríade relações raciais, educação e mercado de trabalho, e o segundo para compreender o cenário contemporâneo acerca do mercado de trabalho, empregabilidade e carreiras para jovens negras/os.

A psicóloga Ellen de Oliveira Moraes Senra (CRP-05/42764), uma das convidadas da atividade, iniciou a sua fala fazendo uma alerta sobre a necessidade de se discutir sobre o racismo no ambiente escolar. A profissional também pontuou a importância de conversar com as crianças e adolescentes sobre o assunto, reiterar que o racismo existe e que ele pode ser mascarado. “Muitos adultos, na intenção de proteger as suas crianças, acabam mascarando coisas que são sérias e reais demais. Não adianta de nada tentar proteger uma criança de uma realidade que ela vai enfrentar, e talvez, já esteja enfrentando”, afirmou Ellen.

A segunda convidada da manhã, a psicóloga Bárbara Santana Ribeiro (CRP-19/3983), trouxe para debate alguns dados relevantes em relação ao racismo no contexto da escola. Segundo a profissional, a partir de alguns estudos, foi possível concluir que o racismo aparece na escola de diferentes formas e que dados apontam que crianças brancas têm recebido notas mais elevadas do que as crianças negras nas mesmas atividades. “Isso não está associado à capacidade intelectual delas. As crianças negras também recebem menos atenção, menos carinho da professora e menos elogios”, concluiu Bárbara.

O terceiro bloco da roda de conversa pautou os desafios da inserção das/os jovens negras/os no mercado de trabalho. A palestrante Juliana Santos da Silva (CRP-03/24282) destacou que por conta das desigualdades, a/o jovem negra/o está desvantagem neste cenário e ainda lembrou que 46% das/os desempregadas/os no Brasil são negras/os. Juliana também falou sobre as ações do GTPOT, juntamente com outros GTs, para promover a inclusão dessas/es jovens, como parcerias com as escolas e RHs, no sentido de ampliar as expectativas de empregabilidade.

O evento está disponível no canal do CRP-03, no Youtube:

Skip to content