/home/crp03/public_html/wp-content/themes/crp-03/single.php
Início  →  Notícias  →  Conselho promove oficina sobre abordagem a pessoas trans

Conselho promove oficina sobre abordagem a pessoas trans

O Grupo de Trabalho em Psicologia, Sexualidades e Identidades de Gênero de Salvador (GTPSIG/SSA), que faz parte do Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-03), organiza a Oficina sobre abordagem a pessoas trans: como praticar uma escuta psicológica ética. O evento on-line, é gratuito e será realizado nos dias 22 e 24 de setembro, entre 18h e 21h. As inscrições podem ser feitas pelo Doity, mas as vagas são limitadas.

A oficina pretende apresentar para a categoria, um exercício ético profissional respeitoso e pautado nos Direitos Humanos para a população trans e travesti, independentemente da sua área de atuação. O momento foi pensado para dar mais visibilidade à Resolução Nº 01/2018, do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que estabelece normas de atuação para as/os psicólogas/os em relação às pessoas transexuais e travestis. Além disso, um dos objetivos do GT é de promover discussões e reflexões com a categoria, reconhecendo que essa temática, embora necessária e urgente, na grande maioria das vezes está fora da formação profissional, gerando, assim, consequências diretas no acolhimento proporcionado a pessoas não cisgêneras.

A escolha para a realização do evento no mês de setembro, período da campanha mundial de prevenção ao suicídio intitulada Setembro Amarelo, acontece por conta das particularidades e invisibilidades que constituem o cuidado com a saúde mental e física de pessoas trans e travestis na nossa sociedade. Segundo o Grupo, diante disso, a Psicologia, como uma ciência e profissão diretamente atuantes nessas pautas, não pode se furtar desta discussão junto à categoria.

Oficina foi pensada a partir do caso de Arianne Senna

Em junho deste ano, o CRP-03 emitiu uma nota de apoio à Ariane Senna, primeira mulher trans graduada em Psicologia da Bahia, por estar vivenciando uma situação frágil de saúde diante de um grave contexto da desassistência dos serviços públicos de saúde. Após realizar um procedimento de aplicação de silicone industrial, Arianne recorreu a diversos equipamentos, sobretudo de saúde pública, mas não obteve suporte adequado para o seu caso, tendo como opção única, um tratamento particular de alto custo financeiro. A ativista ainda sofre com as sequelas desta vivência, pois afeta a sua qualidade de vida, e vem sendo porta voz da urgência em se pautar pelo acesso e qualidade de atenção à população trans e travesti na Bahia.

Programação da Oficina

22/09/2021 (quarta-feira):

Plataforma: Google Meet

Temas norteadores: Direitos Humanos, cisnormatividade e despatologização; 
18h às 19h: Abertura, apresentação da oficina e dinâmica inicial;
19h às 21h: Destrinchando a Resolução CFP 01/2018;
Facilitação: Camila Daltro Ferreira (CRP-03/23375) e Elizabete Oliveira Santana (CRP-03/8192);
Mediação: Fernanda Noronha Sampaio (CRP-03/12302) e Lucas Warley da Costa (CRP-03/21682).

24/09/2021 (sexta-feira):

Plataforma: Google Meet

Tema norteador: Escuta ética; 
18h às 19h45: Limitações e possibilidades: Experiências sobre acolhimento e escuta psicológicas afirmativas e éticas; 
Facilitação: Guilherme Bernardo Marques (CRP-03/15525); Gilmaro Nogueira (CRP-03/5381);
20h às 21h: “Sem manual de instruções”: E agora?
Mediação: Dhan Tripodi Pereira Ferreira (estudante de Psicologia/FTC, integrante do Grupo de Trabalho Psicologia Sexualidades e Identidades de Gênero de Salvador).

Outras informações: O evento é gratuito e as vagas serão preenchidas por ordem de realização de inscrição prévia, através de um formulário on-line, com as seguintes perguntas abertas: 

Nome completo;
Número do CRP;
Naturalidade;
Email;
Qual sua identidade de gênero?
Qual sua orientação sexual?
Qual seu campo de atuação?
Você pode nos falar um pouco sobre seus conhecimentos ou experiências prévias com o tema?
Quais suas expectativas sobre esta oficina?
Possui deficiência? Se sim, qual?

Inscrições: https://doity.com.br/oficina-sobre-abordagem-a-pessoas-trans-como-praticar-uma-escuta-psicologica-etica/